Levadas da Ilha da Madeira

Levadas da Ilha da Madeira

Levadas da Ilha da Madeira

Levadas da Ilha da Madeira

O Sistema Hidráulico da Madeira remonta ao século XV e é único no mundo. O objetivo desta vasta rede de canais de pedra é captar as águas que caem no alto das montanhas e transportá-la até os campos de cultura. Ao longo dos últimos 500 anos a disponibilidade de água nas plantações foi sempre um fator crítico, já que as zonas cultiváveis eram as menos chuvosas e secas. Em contrapartida, chovia abundantemente nas zonas montanhosas impróprias para o cultivo. Daí resultou uma batalha titânica que implicou a construção de 2200 km de canais e 40 km de túneis. Tarefa tanto mais formidável, quando se sabe que na maior parte dos casos, galerias e condutas foram abertas à mão. Por vezes uma topografia tão adversa que os homens tinham de trabalhar suspensos de cordas, enquanto atacavam a rocha.

 
A levada típica não tem mais de um metro de largura, oscilando a profundidade média entre os 50 e os 60 cm. Ao lado do canal corre uma vereda que raramente ultrapassa o meio metro de largura e aqui é conhecida como traste ou esplanada. Desta forma se consegue chegar a pé a locais doutra maneira quase inacessíveis. Quase todas as levadas começam no norte ou parte central da ilha, mais chuvosos e consequentemente, mais ricos do ponto de vista hídrico.

 
Existem cerca de 200 levadas no total, a maioria propriedade do estado, tal como a Levada do Rabaçal e a Levada da Serra do Faial, que são as maiores. Outras são privadas, como é o caso da Levada de Santa Luzia, no Funchal, que já em 1515 trazia água para as plantações de cana de açúcar.

 
Existem regras ancestrais muito rígidas regulando a utilização das levadas. A água é dividida pelos diferentes utilizadores (povoados, plantações, etc.) por dias e minutos de cada semana (a parcela média deverá representar 15 minutos de duas em duas semanas). Mesmo no Funchal ainda há jardins que recebem as suas parcelas de água por este processo. Cada conduta tem o seu levadeiro, responsável pela vigilância do canal e pelo bom andamento da respetiva exploração.

 
A rede de levadas permite passeios espetaculares, umas vezes por trajetos relativamente fáceis, outros atravessando túneis ou caminhando vários minutos à beira do abismo. Perante a popularidade destas caminhadas tem havido um esforço de classificar os diversos trajetos, desde os acessíveis a principiantes, até os mais difíceis, extensos e, eventualmente, perigosos.